sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Enquanto os grandes não aparecem

Lá continuam as fainas atrás do grandes que continuam teimosos em dar o corpinho ao manifesto...

Na ausência dos graúdos, lá me entretenho com os mais pequenos que vou libertando, apesar de legalmente terem medida para serem retidos.

Neste dia nada de especial a assinalar... Após ter feito a maré da noite, fui para casa dormir e voltei de madrugada para mais 1h de pesca...

Logo nos primeiros lançamentos sinto peixe e coloco o primeiro robalo em seco, que prontamente devolvi... Mais uns lançamentos e saiu o segundo, também devolvido... E como não há 2 sem 3, passados uns minutos mais um e também devolvido (este com direito a foto e video de libertação, apesar do escuro que estava)...



O video nem o vou editar, que apenas se vê o robalo no grip e no frame a seguir desapareceu...

Cana: Major Craft Skyroad 962ml 10-30g
Carreto: Daiwa Legalis 2500HA
Multi: Sufix 832 0,15mm
Leader: Tubertini Gorilla Power 0,335mm

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Mais um dia de C&R

Mais uma moedinha... mais uma voltinha...

Foi mais um dia a começar mais tarde do que é normal. Ainda assim um dia onde deu para entreter com a captura de 10 peixes, tudo devolvido, onde marcaram presença 2 robalotes (36 e 38cm), 1 cavala e 7 savelhas (devo ter dado com o ninho delas já que houve uma altura em que cada lançamento ferrava uma).

Robalo 38cm

Nem os gatos lhes tocam :)


Segue video de um dos releases de um robalo. Ainda que com medida, faltavam-lhe mais 4cm para entrar na minha medida (42cm) de retenção.


Caperlan Axion 240MH 10-30g


  • Peso: 132g
  • Passadores Fuji (3x BKLAG + 6x BKTAG)
  • Ponteira: Fuji MNAT
    Passadores Fuji

    Em trabalho...


Peso total: 132g



Cana: Caperlan Axion 240MH by Dionisio
Carreto: Daiwa Legalis 2500HA
Linha: Sufix 832 0,15mm
Leader: Tubertini Gorilla Power 0,335mm

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Dia entretido

Mais uma pesca e infelizmente sem a máquina de filmar...

Dia com 23 peixes apanhados onde apenas reti uma baila de 700g. Bem gorda e ideal para ir parar ao carvão...


Dia que proporcionou muita diversão e muitas capturas (2 bailas, 3 robalos, 4 savelhas, 4 agulhas e 10 cavalas).

A baila deu-me bastante prazer, ataque a meio caminho a dobrar bem a cana e a fazer o carreto trabalhar um pouco. Nenhum monstro de outro mundo, obviamente, mas ainda assim com um sabor especial.

Poderia ter retido 2 peixes já que tive um robalo bem acima da medida que resolveu desferrar mesmo aos meus pés... Tinha feito uma cabeleira no multi e acabei por abrir o drag para puxar o fio e atar novamente o leader... Depois esqueci-me de o fechar mais... O sacaninha deixou-se vir até perto de mim e quando já estava de grip na mão, fez um último arranque e acabou por folgar a linha e cuspir a amostra devido à folga...

Mas andar tão entretido e ainda com o bónus de ter uma cana montada por mim teve outro sabor.

Fica ainda um video de outro dia, onde um peixe menos "nobre", se deixou filmar... É uma tainha, mas ainda assim gosto de parar de pescar e aproveitar estes momentos que só quem está junto ao mar pode desfrutar.



Cana: Casini by Dionisio
Carreto: Daiwa Ballistic EX 3000H
Linha: Sufix 832 0,15mm
Leader: Varivas Shock Leader 20lb - 0,37mm

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

À mulher do pescador (desportivo)

Antes de me alongar no relato partilho convosco um texto, da autoria da minha mulher, e que recebi durante a jornada abaixo. Está demasiado bom para ficar apenas guardado no meu e-mail... E não, não são metáforas, existe mesmo um palhaço a viver na cozinha desde a última vez que fui aos chocos a Setúbal (talvez há uns 3 meses)... E acho que ela não viu ainda a amostra que descansa pacificamente em cima de uma moldura na parede...


À mulher do pescador (desportivo)

Já que gostas da literatura de pesca toma lá este texto:

Antes de ti já ela existia. Antes de ti já ela o fazia suspirar. Antes de ti era ela que lhe tirava o sono e lhe levava uma percentagem considerável do ordenado. A pesca chega quase sempre antes da mulher do pescador. Não somos as primeiras. Sem ressentimentos mas somos as segundas e não lhes peçam para escolher: eles escolheriam-nos a nós. Acreditem que sim. Mas a situação seria dolorosa para ambos. Ninguém quereria passar pela experiência de abstinência piscatória. A harmonia do casamento perder-se-ia. Acreditem mais vale partilhá-los e aceitar a bigamia. Muitas vezes interrogamos: no namoro não era assim porque é que ele se ausenta mais agora? Gosta menos de mim? Bem... quero acreditar que não! Faz parte. Da mesma forma que na fase do enamoramento fazemos mais vezes a depilação ou apostamos mais na lingerie. Aceitemos esta evidência. Mas vamos lá, sejamos sinceras, ser mulher de um pescador é uma vida de cedências e incompreensões (agora em forma de lista e dirigida a todas as iniciantes):

- As amostras passam a fazer parte da decoração. Aquele peixe com anzol pode passar meses em cima daquele frasco decorativo na cozinha. Não tentes movê-lo porque ele volta. Espera que ele volte à pesca do choco para que aquela amostra seja necessária. Mas este é um mal execional. O pescador é organizado. Extremamente cuidadoso e limpo. Refiro-me obviamente ao material da pesca.

- Nem sempre ele volta para casa com peixe. Seja ele responsável e serão mais as vezes que retorna a casa sem escama e estranhamente Feliz do que o contrário. Pesca não é sinónimo de refeição de peixe. Não tentes explicar isto às tuas amigas porque elas não vão perceber.

- Por falar em amigas, elas também não vão perceber que o pescador não cheira a peixe e não suja a casa de areia. Se tentares explicar podes receber como resposta: mas então como sabes que ele foi à pesca? DRAMA!! Ignora, por favor, ignora. Pensa que nenhuma mulher irá olhar para o teu marido naquele fato de neoprene e as sereias não existem. Tranquilo. E mesmo que haja mulheres a pescar essas estão longe. Eles não gostam de sentir a respiração de ninguém na pesca.

- Não perguntes se a pesca correu bem. É estúpido. Corre sempre bem. Nem desejes boa pesca. O pescador é supersticioso e isso dá azar.

- Não deites caixas de plástico fora sem antes perguntares: precisas para a pesca? Ah e tenta não usurpar as caixas dele... Tenta. Nem sempre é possível. Cobiça só, diz - lhe que são giras. Um dia serão tuas para guardares tralha.

- O frigorífico tem duas gavetas, não tem? Reserva uma para os legumes. A outra é dele. E não abras. Existem animais vivos nela.

- Sobre o dinheiro. Ok, não falemos nisso.

- A decathlon. A melhor invenção do século. Parabéns ao seu fundador. Podes ir ver ténis e roupa desportiva - que dá bastante jeito para limpar a casa - enquanto ele vai observar amostras, canas e afins. Quando terminares as tuas coisas e fores ter com ele não lhe digas "já tens tralha demais, vamos!". Não tem. Ele tem falta daquela amostra, entendes? Não é igual a nenhuma das outras, mesmo que as outras sejam 65.

- Na altura de comprar casa procura uma com arrecadação, garagem e não ponhas lá nada teu. Aquela é a sua segunda casa. Acredito que no dia que se divorciem ele não vai para a casa da mãe vai para lá ou... para a pesca.

A mulher do pescador tem então de aceitar. Não sei se algum dia vou perceber mas esforço me. O melhor é só aceitar. É que este amor - o deles pela pesca - é para sempre. É de meter inveja, não é?

Cláudia Candeias
---------------------------------------------------------------------------------



Em relação à jornada propriamente dita, resolvi afastar-me das confusões de verão... Demasiados pescadores sazonais, demasiada confusão para mim, como ela disse e bem não gosto de sentir a respiração no pescoço, não consigo ver peixes sem medida a serem enfiados dentro de baldes e sacos enquanto o companheiro do lado aplaude e festeja como se de um troféu se tratasse, não gosto de tropeçar em lixo que deixam nas praias...

A pesca foi feita a solo, gosto de pescar acompanhado, gosto da amena cavaqueira que estas jornadas proporcionam com boa companhia, gosto dos festejos em conjunto quando se dá com o peixe... Mas gosto igualmente de pescar sozinho... Estar ali apenas por estar... Mais peixe menos peixe não vai fazer qualquer diferença no ânimo de apenas estar ali...

Foi uma jornada em que fiz alguns quilómetros pela praia... Lançamento atrás de lançamento e em todos com a esperança de sentir aquela descarga de adrenalina... Passaram 10, 20, 30, 40 minutos e nada de nada... Nem sinal de peixe, nem vivalma à vista... Estava como queria...

Ao fim de 1 hora a percorrer o areal eis que surge o primeiro sinal de vida... Um toque e... nada... Não ficou! Vejo as horas e com a motivação renovada, continuei a lançar, lançar, lançar...

O mar estava difícil... uma maré tão grande e a correr muito, as ondas a exigirem que os sets fossem bem calculados ou as amostras iam e vinham sem sequer trabalharem...

Foram precisas 3 horas de insistência para chegar a recompensa... Lançamento e a meio caminho uma paragem em seco... Nem deu tempo de pensar já que a cana vergou completamente e o drag do carreto cumpria com aquilo a que estava obrigado... Aguentei 2 arranques brutais do peixe... Fecho o drag ainda mais do que já estava e ainda assim os 2 arranques seguintes levaram mais uns bons metros de fio... Começo a senti-lo a ceder, estava na hora de o aproximar de mim e esperar que viesse bem cravado ou não passaria por aquelas ondas (já apanhei pescas de inverno mais calmas)... Na rebentação voltou a arrancar mar adentro... Foi o suspiro final... Com calma, e completamente às escuras, fui controlando o peixe apenas com a ondulação... Espera, puxa, espera e puxa... Senti que o peixe estava praticamente em seco e com a linha sempre tensa fui-me aproximando da margem... E lá estava ele aos saltos já sem hipótese de voltar para a água. Grip na boca e dali já não saia... O mesmo grip que este meses e meses parado por ter ferrugem e que foi "bricolado" no fim de semana... Merecia depois de tudo o que já carregou!!!

Cada peixe é motivo de festejo... Não pelo tamanho em si, apesar de ser um bom peixe, mas por ser mais um fruto da minha teimosia, ou insistência como lhe queiramos chamar... Festejei sozinho ali no meio de nada e sem ninguém à volta... Mas festejei também em conjunto... Fotos tiradas e enviadas aos companheiros do costume... Primeiro logo ao meu pai como é da praxe e em seguida aos Ricardos, Nuno e Gualter...



Um bom exemplar, uma autêntica bola de tão gordo que estava...

Não lancei mais... Prendi a amostra na asa de cesto do carreto e o peixe foi no grip enquanto caminhei a caminho do carro... Nem valia a pena colocá-lo na corda... Estava satisfeito... Aquilo a que ia estava concretizado... O vicio nesta pesca é a procura... Procurei e encontrei... Dar com outro era apenas para fazer número e peso... E sinceramente, não é isso que me motiva...



Cana: Shimano Technium SP  9´10" 14-56g
Carreto: Daiwa Ballistic EX 3000H
Multi: Spiderwire Smooth 8 0,14mm
Leader: Varivas Shock Leader 20lb

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Bricolagem Grip

Bem, tenho tido um dos meus primeiros grips parados há uns tempos devido À mola da balança ter ficado ferrugenta e andar a sujar tudo de ferrugem, bancos do carro, bolsa, fato, etc...

Então resolvi encostá-lo e adquiri outros que tenho usado desde então...

Têm desenrascado bem mas com o peixe que publiquei na última entrada vi os triplos passarem demasiado perto das minhas mãos devido ao tamanho do grip.

Grip ABS que tenho usado
 Este grip tem o bónus de ser muito leve, barato e tem durado bastante mesmo apanhando com vários banhos.

Mas como fiquei de nariz torcido ao ver os triplos tão perto das minhas mãos, resolvi pensar numa forma de recuperar o meu...

Havia duas formas de chegar ao objetivo que tinha de o voltar a usar:

  1. Pegar no Dremmel com um disco e cortar a pega de plástico, tirar a mola e colocar uma pega em EVA (que tenho lá da altura que refiz a Casini)
  2. Colar a pega para que a balança deixasse de funcionar e revestir o cabo para prevenir a entrada/saida de água e sujidade
A #1 pareceu-me demasiado trabalhosa para o que pretendia no imediato... Talvez no inverno, quando o mar não deixar pescar deixe o grip desta forma...

Vamos então ao método #2 que foi o que usei...

De material tinha tudo em casa, excepto a manga termoretrátil:
  • Epoxy 2 componentes de secagem lenta - Usei Araldite da normal;
  • Epoxy 2 componentes secagem rápida - Usei Araldite Crystal (é a que uso nos enrolamentos dos passadores);
  • Fita isoladora
  • Manga termoretrátil (de diâmetro adequado À pega).
O primeiro passo foi limpar toda a ferrugem visível no grip. Uma dica é colocar o grip preso e puxar a balança ao máximo que conseguirmos. Assim permite limpar o máximo de ferrugem e vai servir também para o próximo passo (colocar o epoxy de secagem lenta).

O segundo passo é misturar o epoxy de secagem lenta, puxar a balança ao máximo e colocar o epoxy (espalhar bem e não se preocupem com o excesso) e lentamente deixar o punho voltar À posição normal. Assim consegue-se que o epoxy apanhe o máximo de superfície possível dentro do punho.
  • Com o epoxy de secagem lenta aconselho a deixarem secar bem durante 48h - mas podem continuar a bricolagem após 24h.

Grip já com epoxy aplicado no interior do punho - é possível verificar a quantidade de ferrugem!!!
Logo de seguida coloca-se epoxy no final do punho para impedir que entre/saia água e sujidade

Epoxy de secagem rápida no final do punho
Com estes passos o punho encontra-se colado e o epoxy previne que entre/saia água pelas extremidades.

Na foto é visível que o epoxy de secagem lenta acaba por escorrer um pouco. É mesmo este comportamento que pretendia visto que assim também o irá fazer no interior do punho aumentando a superfície colada.

Para dar uma camada extra de protecção coloquei fita isoladora em todo o punho...

Punho revestido a fita isoladora
Com o revestimento acima restam apenas 2 passos: colocar a manga e reforçar o rebordos com epoxy de secagem rápida.

Manga cortada para aplicar a quente
Nas extremidades colocar mais epoxy de secagem rápida para impedir a entrada de água e outra sujidade.

Resultado final:

Grip terminado
Na foto é visível o epoxy no final da manga. Não tirei foto mais detalhada mas dá para ter uma ideia.

Devido à aplicação a quente da manga, esperei mais 48h para que o epoxy fizesse o seu serviço...

Fiz o teste com 3 garrafões de 5 litros cheios de água e levantou-os sem o punho mexer. 

Não ficou tão agradável à vista como se tivesse utilizado o primeiro método. Mas ficou funcional que era o pretendido... Se o achar muito feio tiro-o da boca dos peixes para tirar fotos 😅

Espero que sirva para tirarem ideias se precisarem de algo semelhante.

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Insistir e por vezes têm-se sorte!!!

Começo o relato pelo início...

Visto estar de férias devido à creche estar fechada, aproveitei a madrugada para ir matar o vicio até serem horas de ir acordar a senhora se ir despachar e ir trabalhar...

Despertador a tocar bem cedo e saio de mansinho da cama para não acordar a tropa lá de casa. Café bebido e siga caminho.

Chego às pedras que tinha escolhido e nem vivalma... Bem bom!!!

Toca de lançar e nada de nada, quando ainda de noite sinto um ataque... Lançamento para o mesmo sitio, animar a amostra e a cana parou em seco seguindo um arranque brutal em direção às pedras com o peixe a aproveitar a corrente. Ali não podia facilitar (já lá deixei uma IMA como piercing num peixe que cortou o multi a passar nas mesmas pedras) e forcei o máximo que podia para o virar de novo para mim... Consigo voltar o peixe para mim, recolho uns metros de linha e no segundo arranque puffff... F#""$# mais um peixe que me levou uma amostra como recordação?!?!? Volto a sentir a amostra e recolho até chegar a mim e o #"%$ do triplo tinha cedido...


Tenho quase 20 amostras na caixa que anda comigo, todas com os VMC 9626ps, e isto vai-me logo acontecer com 1 das 2 amostras que ainda têm os triplos de origem... Não foi azar, foi estupidez já que não foi a primeira vez que acontece... Mas enfim, faz parte destas andanças na pesca... O tal pensamento do "quando enferrujarem logo as troco que agora não me apetece!!!"

Mas passado tanto tempo sem sentir um peixe com aquela força, e apesar do sabor agridoce, senti-me satisfeito pelas 2h de faina matinal tanto que nem troquei de amostra. Guardei-a na caixa e segui caminho de volta para o carro.

Estava na hora de voltar para casa, limpar as coisas e depois ir acordar a senhora...

Ainda tive uns minutos de descanso entre ela sair para ir trabalhar e o filhote acordar com a corda toda...

Lá passámos o resto do dia entre passeios e brincadeiras em casa...

Mas fiquei com aquele sabor na boca e tinha de tentar a desforra... Depois de jantar e de todos os afazeres despachados meto o material no carro e sigo novamente caminho para o mesmo sitio...

Ao chegar deparo-me com um aparato do caneco... Montes de gente na rua, policia por todo o lado e já fui... Nem me lembrei que de noite era o festival Sol da Caparica... Pronto, o que de manhã foi uma calmaria de noite estava um reboliço e resolvi mudar de poiso...

O que tem de ser tem de ser...

Material montado e siga caminho para junto ao mar... Uns minutos depois vejo luzes na minha direção e pensei logo que se tinha acabado o descanso. Infelizmente o respeito, ou melhor a falta dele, entre pescadores é uma coisa que me tira do sério. Estar a pescar descansado dentro de água e quando dou conta tenho pescadores de surfcasting a montar a tenda e a lançarem por cima da minha cabeça...

Pensei que era mais um dia no "paraíso" quando os 2 pousam o material atrás de mim... mas quando dou conta tinha um deles dentro de água junto a mim a perguntar se podiam montar as coisas e pescar do meu lado direito... Acho que as primeiras palavras me saíram meio entre dentes mas depois percebi que era pessoal como deve ser. Infelizmente este tipo de respeito entre pescadores não é comum. Entre conversa e alguns lançamentos eis que surge um ataque e ferragem concretizada... Foi aguentar os primeiros arranques e ainda pensei que fosse um peixe mais pequeno já que só ao 3o arranque mostrou o que estava do outro lado. Foi uma luta rápida, mas engraçada, e quando me desloquei uns metros para trás para o controlar melhor já na fase final com o peixe quase em seco um eles segurou o leader e acabou por colocá-lo a seco. Ouvir a mitica frase "é um bom peixe" deixou-me descansado. Ao ligarmos as luzes as caras não me eram estranhas mas não associei logo quem eram...

Este não teve tanta sorte e não abriu as 9626ps além de que foram uns 2 minutos para as conseguir tirar com o alicate de tão cravadas que vinham. Peixe preso na corda e ainda sem me lembrar quem era aqueles 2 pescadores pedi se podia deixá-lo junto ao "acampamento" deles e lá ficou... Não sem antes lhes dizer que enquanto ali estivesse ninguém pescava visto que tinham trazido sorte...

Fiz mais meia dúzia de lançamentos e lá me lembrei de onde conhecia aquelas caras... Pessoal daquele porreiro e com respeito pelos outros só podia ser boa gente... Pessoal do gang (http://ospescas.blogspot.pt/)

Como ficariam muito limitados para a pesca que iam fazer se eu continuasse ali, e como já tinha a noite feita, resolvi sair da água e deixar-lhes espaço para pescarem À vontade.

Quando voltei ao acampamento lá se desfizeram as dúvidas de quem eram e ficámos mais um pouco a conversar... Pelos vistos o Guilherme também me reconheceu e até agradeceu o post (https://dionisiopesca.blogspot.pt/2017/02/transporte-amostras-e-material-variado.html) que fiz sobre as bolsas mostrando-me uma igual à minha da Abu Garcia, muito bem aproveitada com os alvéolos da bolsa da Rapala!!! Isto vê-se com cada uma na pesca... Malta peço desculpa por ter roubado um peixe que podia servir para a tabela do vosso campeonato :).

Despedi-me, sem desejar boa pesca claro, e segui para o carro... Ainda tinha de ir arranjar o peixe e colocá-lo na arca.

Fotos da praxe no caminho e enviadas aos suspeitos do costume... Uns com que pesco habitualmente e outros com os quais nunca tive o prazer de pescar mas que falamos diariamente!!!

Como a escrita vai longa, e o pessoal gosta é de fotos e videos, seguem abaixo...

Um bonito robalo com 72cm que podia estar mais gordo!!! Magricelas mas cheio de energia!!

Ao chegar ao carro vi que passei apenas 37 minutos a pescar... Nada mau para não cansar muito 😊








Cana: Major Craft Skyroad 962ml 10-30g
Carreto: Daiwa Ballistic EX 3000H
Multi: Spiderwire Smooth 8 0,14mm
Leader: Varivas Shock Leader 20lb

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Mais uma para entreter...

Isto da pesca tem muito que se lhe diga... Muitas horas a dar ao cabedal em busca de uns peixitos e ele teimam em não aparecer (pelo menos nos tamanhos que queremos)...

Pelo menos nesta pesca sempre vai dando para entreter e esticar as linhas (só para ficarem bem acondicionadas na bobine).

Não me vou alongar muito visto que mesmo de férias não dá para parar 😅

Deixo o video das picadas de 4 cavalas (neste dia foram 5 no total colocadas em seco).

Bom amanhecer com boa companhia como se pretende nestas andanças da pesca.

Video






Para breve novo post com outra espécie e de mais alguns centímetros 👀